Triangle (Triângulo do Medo)

Jess (Melissa George), é mãe de uma criança autista, tem uma vida difícil a trabalhar e a cuidar do filho, mas certo dia embarca com alguns amigos num pequeno veleiro para gozarem o verão. É fim de semana, o tempo está óptimo, e tudo parece estar a correr bem até que inexplicavelmente aparece uma violenta tempestade que acaba por fazer virar a pequena embarcação. Sozinhos no mar, os amigos temem o pior, mas pouco tempo depois avistam um navio e conseguem subir a bordo por uma escada lateral. Tudo parecia estar a entrar nos eixos novamente, mas rapidamente detectam que algo não está bem no interior do barco e que se encontram presos num ciclo do tempo, onde a mesma situação se repete vezes sem conta.

Crítica: Vi o filme “Triangle” em 2009 na altura em que saiu, e lembro-me de achar que era um filme interessante. Passado 12 anos resolvi revê-lo. Não é um filme comercial, e julgo que por esse motivo não teve tanto sucesso. Existe quem pense que se trata de um filme complicado, mas a meu ver não é tão complexo como aparenta ser.

Não é um filme para todos, mas é um bom filme, com boas interpretações, e uma história misteriosa mas cativante.

A história embora não seja toda mastigadinha e entregue de bandeja, é bastante linear. Recomendei o filme a uns amigos e sugeri que não vissem o trailer, irem mesmo sem informação nenhuma, e gostaram. Não é um filme para todos, mas é um bom filme, com boas interpretações, e uma história misteriosa mas cativante. Tenho pena que não existam mais filmes de terror que sejam passados num navio, existem alguns, lembro-me do filme “Ghost Ship” e mais uns quantos, mas são poucos, pelo menos em comparação a filmes de terror em que o cenário são casas.

O objectivo de Chris Smith era fazer um filme que pusesse as pessoas a pensar, e isso concretizou-se pois parece que cada pessoa tem a sua própria teoria em relação ao filme!

Para mim é simples, a personagem principal (Jess) é na realidade um fantasma. A histórica começa antes de ela embarcar no veleiro, quando sofre uma acidente de carro, que é mostrado no final do filme. Jess faleceu mais o filho no acidente, mas devido à dor de perder um filho (e talvez algum sentimento de culpa) ela fica presa num time loop, tentando vezes sem conta salvar o filho, e para isso tem de repetir a viagem de veleiro, passando depois pelo navio e voltando a casa. O que vemos no filme não é a realidade, é uma espécie de “limbo” onde ela ficou presa.

Título Original: “Triangle” (2009)
Realização: Christopher Smith
Argumento: Christopher Smith
Actores: Melissa George, Joshua McIvor, Jack Taylor
Género: Terror, Mistério
Avaliação: 7 out of 10 stars (7 / 10)

André Ramalho

Sou um apaixonado por filmes e cinema, e por isso resolvi criar este blog, com o intuito de partilhar as minhas opiniões e críticas sobre filmes.

3 thoughts on “Triangle (Triângulo do Medo)”

  1. André sou fã dessa obra, depois de assistir milhares de filme ainda tenho esse como o meu preferido. O comentário abaixo contém spoiler se não viu o filme não leia:

    O filme é baseado no mito de Sisifo então existe várias referências a ela. Jess realmente morreu no acidente de carro, o taxista é Thatanos o Deus da morte que a leva até o barco aonde o Carote leva os mortos para o Hades. A tempestade faz referência ao Zeus que irado condena Jess, porém a amiga que foi levada e não deveria está lá desaparece.
    Os outros foram castigados por Hades a viver repetidas vezes a mesma coisa.
    Lembrando que o retorno das pessoas ao iate é referência ao período no qual Thatanos estava preso. E as pessoas não morriam, por isso sempre retornavam.
    No final sempre que Jess estava perto de se salvar o Hades fazia com que ela morresse e retornasse tudo novamente. Assim como o Sisifo que sempre quando chegava perto do cume Hades fazia a pedra rolar novamente para o início da montanha.

  2. Outra coisa, a forma que Jess descobriu para fugir do cruzeiro, pode ser uma referência a tentativa de Sisifo de enganar o Hades, no mito ele pede para ter um dia e vê a esposa e si vingar por não ter tido um enterro digno de um rei. E ele foge com ela, até ser encontrado por Thatanos e condenado por Hades.
    No filme Jess dá a desculpa de querer voltar para vê o filho mas assim como Sisifo tenta fugir com o menino.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.