Blindness (Ensaio Sobre a Cegueira)

Uma cidade é devastada por uma epidemia instantânea de “cegueira branca”. Face a este surto misterioso, os primeiros indivíduos a serem infectados são colocados pelas autoridades governamentais em quarentena, num hospital abandonado. Cada dia que passa aparecem mais pacientes, e esta recém-criada “sociedade de cegos” entra em colapso. Tudo piora quando um grupo de criminosos, mais poderoso fisicamente, se sobrepõe aos fracos, racionando-lhes a comida e cometendo actos horríveis.

Há, porém, uma testemunha ocular a este pesadelo: uma mulher, cuja visão não foi afectada por esta praga, que acompanha o seu marido cego para o asilo. Ali, mantendo o seu segredo, ela guia sete desconhecidos que se tornam, na sua essência, numa família. Ela leva-os para fora da quarentena em direcção às ruas deprimentes da cidade, que viram todos os vestígios de uma civilização entrar em colapso.

A viagem destes é plena de perigos, mas a mulher guia-os numa luta contra os piores desejos e fraquezas da raça humana, abrindo-lhes a porta para um novo mundo de esperança, onde a sua sobrevivência e redenção final reflectem a tenacidade do espírito humano.


Critica: Antes de mais quero dizer que não li a obra de José Saramago, logo não poderei fazer as tradicionais criticas livro/filme, nem quero pois estou aqui para falar do filme e não do livro.

Quem se dirigir ao cinema para visionar este filme, não conte ver um filme de entretenimento com muita história, mas sim um filme chocante e carregado de maldade. A cegueira neste filme é retratada como um ponto de partida para falarmos e pensarmos sobre a natureza humana. Mas esse pensamento só poderá surgir depois de vermos o filme, pois a intensidade dele é tão grande que não deixa espaço para o analisar-mos à medida que o vamos vendo.

Não percebemos como é possível a humanidade se tornar tão pouco humana em casos extremos e primitivos!

Não sabemos as causas da doença, não percebemos a história, e não percebemos como é possível a humanidade se tornar tão pouco humana em casos extremos e primitivos. A verdade é que antes de humanos, somos animais, e é isso que o filme tenta demonstrar, aliás é praticamente só isso que o filme tenta mostrar, embora haja naturalmente um pouco de compaixão em certos momentos (poucos).

Não gostei da banda sonora do filme e não gostei de ver cenas marcantes e muito intensas com uma música de fundo um tanto ”cómica”… Se o objectivo era endurecer as cenas juntamente com a banda sonora… não conseguiram.

Quanto ao elenco do filme é espectacular, começando por Julianne Moore até Danny Glover, passando naturalmente por Mark Ruffalo. Todos eles estiveram muito diferentes do habitual. E o restante grupo de pessoas presentes no filme é formado por várias etnias e nacionalidades, o que dá um certo toque de universalidade ao filme.

Para finalizar, pois este é sem dúvida um filme muito difícil de criticar, quero dizer que não gostei do que vi nem do que ouvi, mas o objectivo do filme é mesmo esse, não gostarmos e não nos sentirmos bem depois de o vermos.


Título Original: Blindness (2008)
Realização: Fernando Meirelles
Argumento: José Saramago
Actores: Julianne Moore, Mark Ruffalo, Gael García Bernal
Género: Mistério, Drama
Avaliação: 7 out of 10 stars (7 / 10)


André Ramalho

Sou um apaixonado por filmes e cinema, e por isso resolvi criar este blog, com o intuito de partilhar as minhas opiniões e críticas sobre filmes.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.